quarta-feira, 2 de julho de 2014

Capítulo 3


"Você deve estar de brincadeira." Demetria pensou consigo mesma. "É ele."
As palmas duraram por algum tempo.
- Obrigada, Joseph Jonas, por preservar nosso patrimônio. - assim o prefeito finalizou.
- Me sinto lisonjeado e agradeço pela hospitalidade. Bom festival á todos.- da voz até a roupa, ele era o homem do devaneio de Demetria.
Mais palmas.
Sucinto, educado, misterioso e sexy, essas características representavam bem Joseph Jonas. Após a morte de seu pai, sendo o filho mais velho, toda a fortuna ficou em suas mãos. Para fugir do passado, dos fantasmas e da maldição que assombrava sua família, resolveu mudar de país, trazendo com ele seu irmão, irmã e uma criada. Inglaterra lhe pareceu um bom recomeço, e quando ouviu falar sobre a pequena cidade, com vestígios da Idade Média e reclusa em ceder antigos hábitos pela modernização, ficou encantado. Então, vendeu tudo da vida passada, reuniu sua família e embarcou num navio com três maletas enormes de dinheiro e com uma passagem só de ida para Cornualha. Na concepção de Joseph, este é o começo de uma nova vida.

- Um copo de rum, por favor. - Demetria pagou, retribui o sorriso ao vendedor que a serviu.
Não deveria beber, não deveriam vender bebidas á jovens abaixo dos 18, porém, Demi aparentava ter mais, com seu corpo de mulher e sorriso de moça, ela tinha o que queria, principalmente quando o assunto se tratava do sexo oposto.
Ela precisava do álcool naquele momento. E se tudo o que pensasse fosse maluquice de sua própria cabeça? Por que se importava tanto com aquelas coisas que apareciam em sua mente? Do que adiantava, se tudo o que ela via era impossível impedir? Por que aquela visão em especial mexeu tanto com ela? Por que estava com tanto medo e nervosa? O que tudo aquilo representava? Seu corpo estava frio e sua espinha era recoberta de calafrios. "Se esquente." Comandava á si mesma terminando o amargo, mas necessário, rum. Ela devolveu o copo.
- Quer dançar? - aquela voz roçou no ouvido de Demetria e a fez arrepiar. Todo o frio que sentia foi embora.
Ela se virou e encarou aquele par de olhos negros, enquanto seu cheiro másculo amadeirado enchia o ar em sua volta. Como se o silêncio fosse uma resposta ele a conduziu até o centro onde uma nova música começou a tocar e ela permitiu.
Flautas, tambores, alaúdes, vielas de arco e cornamusas espalhavam música.
Demi sentia o calor que emanava daquele homem, sentia o perigo rondando e tudo o que conseguia pensar era o quão arrebatador era estar nos braços daquele.
Foram feitas duas filas paralelas, uma feminina e a outra masculina. Ambos fizeram reverencia, com passos ritmados eles se olharam, levaram suas mãos, sem se tocar, mas fingindo o toque, começaram a bailar, então, trocavam as mãos.
- Eu conheço você? - a pergunta saiu determinada daqueles carnudos lábios rosados de Joseph.
- Você acha que se esqueceria de mim, caso me conhecesse? - sexy, era pouco para forma como Demi respondeu a pergunta com outra.
- Nos conhecemos. - a afirmação foi bruta da parte dele.
A dança mudou. Ele a pegou pela cintura e segurou a mão de Demetria. O toque na cintura dela a atiçou, era intenso e provocante, e a maneira como ele segurava a mão dela era suave e elegante. Ele sabia dançar.
Os olhos negros dele se voltaram para os amendoados de Demi.
- Quem sabe...
- Eu sei. - ele a apertou contra seu corpo bem definido.
Então ela se perdeu.

" Lábios rosados roçavam os avermelhados de Joseph. Os cabelos vermelhos eram jogados para trás, para o homem poder beija lhe o pescoço e morder o lóbulo da orelha da moça que soltou um suspiro.
- Eu farei amor com você. Eu tocarei você. Eu farei de você minha.
- Eu nunca permitirei. - havia determinação em sua voz.
A imagem se abriu. A ruiva estava acorrentada, com hematomas roxo, extremamente magra e sofrendo, sem deixar uma lágrima cair.
- Então peça que eu pare. - ele ordenou enquanto acariciava os mamilos já enrijecidos através da fina camisola que ela usava.
- Por favor... - gemeu.
Ela se entregou para ele."

Joseph a jogou para trás como passo final da dança e a ergueu. Tudo o que Demetria pode fazer foi se desvincular dos braços fortes dele, contrariando seu desejo e perder-se no meio da multidão do festival. Ela precisava ficar sozinha.

Joseph não acreditava no que acontecera. Ela era a garota dos seus sonhos. Era ela quem ele deveria salvar de si mesmo.
O demônio dentro dele era ela.


Continua...


Ta ficando quente aqui, ou é só impressão minha?
Amores, nos próximos capítulos as explicações e informações virão, ok?
Comentem.
Beijos.

5 comentários:

  1. MY GOSH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    EU PRECISO DO PROXIMO CAPITULO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! EU VOU ENDOIDAR!!!! ESSA FIC É SIMPLESMENTE PERFEITA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1 POSTA LOGO!!!!!!!!!!!!!! TÔ VICIADA!!!!

    ResponderExcluir
  2. Essa fic tem hot? To amando posta logo bjs
    Espero que tenha hot

    ResponderExcluir
  3. posta maissssssssssss pleaseeee!!!1 comecei e ler a fic hj ameii

    ResponderExcluir
  4. Posta maissssssss logoooo necessito dessa fic!!!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir